A esperança é que o futuro seja tão brilhante como o passado que foi contigo. E às não achas que não volta mais? Eu lembro-me sempre da maneira como olhavas para mim e de como tentavas atenuar os meus demónios com palavras doces. Eu sabia que os estavas a tentar matar e isso assombrava-os. E de certa forma perdia-lhes o medo por uns momentos. Nunca mais os vou ver amarrados como fazias e às vezes tenho saudades das sombras que fazias deles – isso mesmo: sombras.

Sem comentários:

Enviar um comentário