Estas coisas não se escolhem, não é? Gostar-se assim, de um dia para o outro querer sentir o cheiro a limão nas tuas mão depois de me teres feito uma limonada com o sol da minha cozinha nos pés. O problema da intimidade é saber que o teu sorriso é mais rasgado quando acordas e que ao longo do dia ganha uma vivacidade que me cativa de maneiras diferentes. Também gosto de ti porque me deixas dormir no teu braço e nunca te queixas de estar dormente. Não podes fazer estas coisas a uma pessoa que nunca acreditou ser feliz: depois, quando desapareceres, vou ter memórias boas para sentir falta.

Sem comentários:

Enviar um comentário