Li o “Grande Gatsby” quando tinha 15 anos mas apontei uma frase num bloco de notas que só agora faz sentido. “A desonestidade de uma mulher nunca se censura profundamente”. 

Sem comentários:

Enviar um comentário