“Acontece isto muitas vezes no teatro e na vida, precisamos de uma pessoa que venha bater à porta só para dizer, Está na sala uma senhora à procura do senhor.” Saramago, claro.
O problemas das pessoas-bengala é não sabermos que o são. Às vezes achamos que elas nos são as principais. São a nossa prioridade, o centro das atenções. E das emoções e das forças. E depois descobrimos que são apenas uma transição, ou pior, uma chamada de atenção para o que vem a seguir. Perdemos muita energia com as pessoas-bengala, e às vezes muita vida, para descobrirmos depois que só estão ali para nos mostrar que depois delas há alguém à nossa espera.

1 comentário:

  1. Muito...muito bom! ;)

    Tanto para dizer das "pessoas-bengala"...

    ResponderEliminar